Ore Pela Africa

Povo Bara-Madagascar

População: 750.000

Localização e Contexto: Acredita-se que o povo malgaxe, de ascendência de um misto de malaio-indonésio e árabe africano, migrou para a ilha entre 1500 e 2100 anos atrás. Os Bara vivem nos campos do centro-sul de Madagascar e, embora haja algumas estradas, não é muito acessível por veículos.

História: Embora seja tradicionalmente um povo que cria gado, pode-se encontrar mudanças entre os Bara devido à descoberta de safiras em sua área. Isso significa que muitos outros grupos tribais vieram à sua área para cavar à procura de pedras preciosas, além de expatriados que se estabeleceram como exportadores. Isto significa que o modo tradicional de vida dos Bara está mudando e tornando-se menos viável, deixando eles mais abertos a novas ideias e modos de vida.

Cultura: Possuir gado é muito importante para os Bara. Muito de seu estilo de vida gira em torno do cuidado e da manutenção de seu gado, bem como de seus campos de arroz. Eles têm uma reputação de ladrões de gado ainda que hoje tal roubo seja pouco praticado. A estrutura tradicional de autoridade dos Bara dá poder e respeito ao Lonaky, que é um líder de família e da comunidade que tem a responsabilidade espiritual e material para com os animais, as pessoas e o bem-estar geral da aldeia. Ele pode ser o “sacerdote” da aldeia e dar estabilidade e direção a toda a comunidade.

Religião: Os Bara acreditam em Zanahary, o criador, que é uma figura alta e distante. Eles também temem e adoram os antepassados, os mortos-vivos que podem exercer influência para o bem e o mal sobre aqueles ainda vivos. Eles têm um sistema complexo de costumes, rituais, tabus e práticas que desempenham um papel fundamental em sua visão de mundo animista. Manter a harmonia entre o mundo físico e espiritual é importante e os sacrifícios e rituais ajudam a alcança-la. Muita ênfase é dada para a morte, e rituais bem elaborados têm tradicionalmente acompanhado os enterros. O “segundo enterro”, que vem depois de algum tempo após o “primeiro enterro”, é considerado ainda mais importante e envolve o enterro dos ossos, sacrifícios e banquetes. A sua independência de pessoas de fora, a servidão a falsos deuses e influência de feiticeiros são desafios, mas há histórias entre os Bara que possuem paralelos que poderiam apontá-los a Cristo.

Share This:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *