Ore Pela Africa

Povo Gujarati-Madagascar

População: 60.000-70.000

Localização e Contexto: Os Gujarati (ou Karana) de Madagascar são geralmente descendentes de imigrantes do oeste da província de Gujarat. Os Gujarati da Índia são conhecidos por serem empresários engenhosos. Em Madagascar, gujarati é a língua nativa, embora muitos também falem malgaxe e francês. Alguns dentre eles sabem falar híndi e também inglês. Há aproximadamente 20.000 gujaratis só em Antananarivo, em torno da área de Tsaralalana. Há também populações significativas nas cidades portuárias de Diego Suarez, Morondava, Tamatave e Mahajanga.

História: Acredita-se geralmente que os sul-asiáticos chegaram pela primeira vez em Madagascar por volta de 1880 na cidade portuária de Mahajanga , na costa oeste. Eles negociavam escravos. As primeiras chegadas eram de maioria muçulmana: Khojas, Ismailis e Daoudi Bohras. Na década de 1970, todos os negócios em Madagascar foram nacionalizados. Devido a isso, muitos sul-asiáticos foram forçados a deixar o país. Aqueles que ficaram eram muitas vezes iletrados e tiveram que construir seus novos negócios a partir do zero. Atualmente, acredita-se que os negócios dos Gujarati controlam de 50 a 60% da economia do país.

Cultura: Os Gujarati de Madagascar são um grupo minoritário de pessoas, com uma população de 60.000 a 70.000 pessoas. Cerca de mil deles são não-residentes provenientes da Índia. Os outros são nascidos localmente dos descendentes dos primeiros imigrantes a Madagascar. Seu envolvimento com negócios se dá principalmente com importação/exportação, varejo, hotéis, viagens e têxteis.

Religião: A maioria são muçulmanos xiitas (Bohra e Coge Ithnasheri). Há alguns paquistaneses Punjabi que são muçulmanos sunitas também. Uma pequena comunidade hindu está presente pela ilha. Entre as principais denominações de igrejas malgaxes há pouca ou nenhuma visão de alcançar as comunidades de sul-asiáticos. Muitos cristãos não acreditam que os asiáticos possam se tornar seguidores de Jesus. Há uma hostilidade contra os Karana, que são vistos como exploradores do povo malgaxe.

Share This:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *